quarta-feira, 9 de novembro de 2016

A glória de Deus, O supremo propósito da vida. Rev. Hernandes Dias Lopes

A glória de Deus, O supremo propósito da vida.


O Cristianismo difere frontalmente do Humanismo. Este, aplaudido e festejado por nossa geração, coloca o homem no centro do universo. O homem tornou-se a medida de todas as coisas. Tudo vem dele, acontece por meio dele e existe para ele. A busca açodada pelo prazer tornou-se o vetor que governa o homem. A realização de sua soberana vontade tornou-se agenda imperativa. Para atender a esse propósito, as filosofias besuntadas de antropocentrismo idolátrico, repaginaram as artes, a música, o entretenimento, a moda, a cultura enfim,  para que tudo contribua para o máximo prazer do homem. O hedonismo emergiu com força das entranhas dessa cosmovisão.

domingo, 6 de novembro de 2016

Princípios Reformados



PRINCÍPIOS REFORMADOS

                Só a Graça. Ensinam os reformadores que o pecador é justificado unicamaente pela graça de Deus, mediante a fé em Jesus Cristo. O apóstolo Paulo explica: “Se é pela graça, já não é pelas obras; do contrário, a graça já não é graça” (Rm 11.6).
                O homem estende a mão vazia para receber, não cheia para oferecer..

domingo, 30 de outubro de 2016

A Igreja e a Cidadania



A IGREJA E A CIDADANIA

Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Romanos 12.1-2).

            Elegeremos prefeito! A cidade do Rio de Janeiro passará a ser governada por um dos dois candidatos em disputa no segundo turno. Mas qual merece ser eleito?

domingo, 23 de outubro de 2016

Crescimento Espiritual




CRESCIMENTO ESPIRITUAL
2 Pedro 3.11-18

            Quando falamos do modo como o crescimento em graça e o crescimento em conhecimento se inter-relacionam, devemos ser cautelosos. Pedro não considera ambos como experiências isoladas ou paralelas, mas como duas experiências que fluem juntamente.
O crescimento na graça de Cristo vem através do conhecimento, mas o crescimento em conhecimento não assegura necessariamente o crescimento em graça. Uma pessoa pode ter um cabedal de conhecimentos bíblico e, no entanto, dispor de pouca graça. Pedro não desejava que a verdade ou conhecimento cristão ocupasse o intelecto sem tocar na vida, o que resulta em esterilidade espiritual.
Entretanto, o conhecimento é a chave para crescer em graça, quando permitimos que ele seja absorvido pela alma através da fé e, assim, a alimente; ele agirá como uma vitamina na corrente sanguínea. A fé deve exercitar o conhecimento e agir sobre ele. O conhecimento da Bíblia não deve ser acadêmico, mas espiritual; somente assim ele se torna transformador.
O conhecimento vem unicamente por uma via – a Bíblia. Os membros da Igreja devem ser o povo do Livro, saturando-se de verdades por meio dele. Aí então se dará o milagre da renovação e da graça.

Cada dia - Agosto de 2009.

domingo, 16 de outubro de 2016

DE ONDE NOS VIRÁ O SOCORRO?


DE ONDE NOS VIRÁ O SOCORRO?
Salmo 121.

            Nos noticiários não faltam assuntos catastróficos. Tomamos conhecimento sobre o que aconteceu no Haiti. A corrupção continua mostrando sua carranca, no Brasil, nos Estados Unidos, em todo o mundo. A guerra urbana não para, além dos conflitos armados vividos por vários países. 

domingo, 9 de outubro de 2016

A CORRUPÇÃO HUMANA



Romanos 7.18-19

            O povo brasileiro compareceu às urnas elegendo vereadores e prefeitos. Em algumas cidades haverá segundo turno para eleição de prefeito. Dentro desse processo chamou à atenção a quantidade de votos nulos e brancos. A maior taxa de abstenção entre as capitais em 2016 e o maior índice de votos brancos e nulos desde a implementação das urnas eletrônicas, em 1996, foram registrados no município do Rio de Janeiro durante a votação do primeiro turno, no último domingo (2). Somados, 42,54% dos eleitores da cidade não confiou a nenhum candidato o seu voto” (Globo).

domingo, 2 de outubro de 2016

PROCURANDO UM REPRESENTANTE DIGNO



PROCURANDO UM REPRESENTANTE DIGNO
1 Coríntios 16.13-14
            O povo brasileiro volta às urnas, no exercício de um dever cívico, para eleger quem possa o representar. Na procura de dignidade, encontra o cinismo. Se eu pudesse dar um conselho aos que ocupam cargos políticos, me valeria do texto do apóstolo Paulo acima indicado.

domingo, 25 de setembro de 2016

A Superioridade de Cristo



A SUPERIORIDADE DE CRISTO
Atos 17.16-31
            Haverá uma única religião na terra?
            Sabemos de comportamentos estranhos praticados em nome da religião, sem falar nas atrocidades.
            A sociedade de hoje não é muito diferente da do tempo do apóstolo Paulo. A religião sempre foi algo comum aos povos, isto sendo inclusive defendido como uma das evidências da existência da alma. Qual a boa? Qual a ruim? Isto não importa! O que importa é o deus que é adorado.

domingo, 4 de setembro de 2016

NÃO PODEMOS DEIXAR DE FALAR


NÃO PODEMOS DEIXAR DE FALAR
Atos 4.20

                As ameaças e perseguições não podem silenciar os filhos de Deus. Mas temos andado em silêncio, deixando de falar de Cristo. Até quando os bancos estarão vazios e os crentes desanimados?
                No texto de atos 4.20, os apóstolos Pedro e João afirmam que não podiam deixar de falar das coisas que viram e ouviram. E nós, podemos?

domingo, 28 de agosto de 2016

II Congresso de Missões! Marchai povo de DEUS!


O MARCHAR DA IGREJA E AS PERSEGUIÇÕES (ou ameaças)
Êxodo 14

                A situação pode estar difícil, mas pode complicar ainda mais! Parece que foi assim com o povo de Israel. Fugia de Faraó, mas se depara com o mar. O que fazer?

domingo, 21 de agosto de 2016

FORMANDO HOMENS DE BEM

FORMANDO HOMENS DE BEM
Mateus 7.24-28

            Nas olimpíadas foram premiados os melhores. E suas famílias se manifestaram orgulhosas. Mas o que deve nos levar a ter orgulho dos nossos filhos?

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Caminho para o Avivamento



Tiago 4.1-10
            Reformar, na construção civil, é transformar uma realidade arquitetônica em outra muito melhor. Não há reforma completa sem a eliminação do que está ruim. Assim, também podemos dizer que para melhorarmos espiritualmente precisaremos passar por uma reforma, eliminando aquilo que atrapalha o desenvolvimento na direção do Senhor.
            Thiago 4.1-10 aponta um caminho para melhorarmos como crentes no Senhor Jesus, falando sobre o que deve ser eliminado e acrescentado, depois de dizer de onde procede aquilo que não produz resultados para a glória de Deus.
            O 2º livro dos Reis narra sobre o Rei Josias. Depois de encontrar o Livro da Lei, Josias passou a se preocupar com o sagrado, e promoveu a obra do templo que estava danificado. A partir daí, por dar atenção à palavra de Deus, grandes mudanças começaram a ocorrer.
            Queremos a transformação da realidade que nos traz desconforto? Vejamos, então:
            A combinação do se sujeitar a Deus e resistir ao diabo faz com que o diabo vá para longe de nós. Se nos achegarmos a Deus, ele se chegará a nós. Não há do que reclamar se Deus está presente. Tudo se ajusta e se harmoniza.
            Eliminações são necessárias. Quando pensarmos em purificação, devemos considerar aquilo que deve sair da nossa vida. Se há algo que atrapalha a nossa comunhão com o Senhor, não deve permanecer conosco. Purificar é eliminar o que é impuro.
            Confiemos que a realidade pode ser modificada para melhor no Senhor, produzindo um avivamento tão necessário à vida da Igreja.
Rev. Mário Lopes
Igreja Presbiteriana Anil

segunda-feira, 25 de julho de 2016

A INCREDULIDADE DO CRENTE



                “Assim, pois, como diz o Espírito Santo: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração como foi na provocação, no dia da tentação no deserto” (Hb 3.7-8).
               
Há incredulidade entre os crentes?
Vejamos o que diz João 20.24-25: “Ora, Tomé, um dos doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus. Disseram-lhe, então, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele respondeu: Se eu não vir nas suas mãos o sinal dos cravos, e ali não puser o dedo, e não puser a mão no seu lado, de modo algum acreditarei.” De outra feita estava Jesus reunido com o seus discípulos, quando chamou Tomé para que tocasse em suas feridas, dizendo não seja incrédulo, mas crente. Ainda disse Jesus: “Por que me vistes, creste? Bem-aventurado os que não viram e creram” (v. 29). Duvidar dos fatos, não esperar nas promessas, desobedecer são atitudes de quem não está no melhor estado de crente (Jo 20.26-29)
A vida do crente segue um caminho diferente da vida do não crente. A violência, a imoralidade, os vícios são problemas que têm origem comum – a incredulidade. O homem longe de Deus não tem direção, está na escuridão, suas ações são desordenadas. Agora, entre os crentes, também há comportamento como o daqueles que não creem, o que é muito preocupante.
A Palavra de Deus tem sido pregada, mas muitos corações permanecem empedernidos, duros como pedra, sem considerar a orientação que vem do Senhor: “Não endureçais o vosso coração”.
Várias são as consequências da incredulidade. A incredulidade não permite que o homem viva em paz. Ainda que não haja conflito, a preocupação com o que vem após túmulo lhe tira a paz. Isso pode ser melhor entendido quando atentamos para as palavra de Jesus, quando diz: “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim” (Jo 14.1).
 A incredulidade afasta o homem de Deus e, consequentemente, das promessas. Os filhos de Israel que saíram do Egito não entraram na terra prometida, ficando pelo deserto.
Não abandonemos a ideia de que no Senhor somos mais que vencedores. A perseverança deve acompanhar aqueles que conhecem a Palavra do Senhor. A dúvida atrapalha a caminhada.
Conservemos o coração amolecido diante da Palavra de Deus.

Rev. Mário Lopes

A FAMÍLIA NO SERVIÇO A DEUS



Josué 24.14-15

            Desejamos que o nosso lar seja agência do Reino de Deus ou filial do inferno?
            Em Josué 24.14-15, vemos o povo de Israel sendo confrontado. Josué espera que todos decidam por servir a Deus, porque, no coração dele, já está resolvido a servir ao Senhor com toda a sua família.
Pensamos em missão entendo que devemos mudar de país, alcançando pessoas distantes. Mas nos esquecemos de que bem próximo estão pessoas pelas quais devemos lutar e insistir para que busquem a palavra do Senhor: são nossos familiares.
O povo de Israel foi muito influenciado no Egito, o que explica a falta de firmeza diante do Senhor. Os nossos familiares, por onde andam, sofrem também várias influências, inclusive no sentido religioso. Se não houver um posicionamento firme com respeito à vida espiritual que desejamos para a nossa família, veremos todos longe do Senhor e da sua palavra.
Alguém precisará trabalhar pela família, tendo o propósito semelhante ao de Josué. Nem todos estão convertidos. Prega a palavra a tempo e fora de tempo, como ensinou o Apóstolo Paulo. Um moço que chegava drogado em casa, enquanto estava na cama ouvia músicas evangélicas colocadas por alguém que queria vê-lo liberto. Hoje ele testemunha do amor de Deus e trabalha na casa do Senhor.
Há muitos modos de evangelizar. Evangelizemos!
Pastor