sábado, 7 de dezembro de 2013

JESUS – A PALAVRA DE DEUS



Hebreus 1.1-4

                Vi uma reportagem sobre uma fita que, amarrada no braço com três nós, pode levar a pessoa a realizar três desejos. Funciona assim: a pessoa faz os nós na fita e pede três coisas. Quando a fita se romper com o tempo, os pedidos serão atendidos. Mas surgiu um problema: como a fita era de algodão e passou a ser fabricada de poliéster, a demora aumentou para que se rompesse. Resolveram, então, acelerar o processo, voltando à fabricação com algodão. O que há de espiritual nisso? Nada! O que nos parece é que, se a troca de material altera o processo, logo o poder está em quem faz a troca e não no sobrenatural.
                Hebreus 1.1-4 fala sobre a comunicação de Deus. Antes, Deus se revelava pelos profetas. Hoje, através de Cristo Jesus. O texto faz ainda uma apresentação de Jesus, suficiente para levar o pecador a confiar no Filho de Deus.
                A nossa confiança das pessoas não deve estar em objetos e pessoas, mas em Cristo Jesus, que nos é apresentado na Bíblia, sendo ele tudo o que Deus desejou revelar ao homem.
                A Bíblia, revelação especial de Deus, ensina que, antes de Cristo, Deus, através de pessoas, revelou a sua vontade ao seu povo. Alguns exemplos: Com Moisés, Deus fez chegar o conhecimento da sua lei. Em Isaías, foi possível sentir-se como no céu. Diz o profeta: “No ano da morte do rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e as abas de suas vestes enchiam o templo” (Is 6.1).  Pelos salmistas, Deus fez ver que a revelação divina está presente desde o princípio, porque “os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos” (Sl 19.1).
                Em Cristo, Deus revela o caminho da salvação, o que deve interessar a todos, o preço que foi pago.
                Estou convencido de que, mais do que pedir, eu devo esperar o que o Senhor deseja acrescentar à minha vida. Na Bíblia encontramos promessas que mais cedo ou mais tarde vão se cumprir, no tempo de Deus. Não precisamos fazer nada como que para ajudar a Deus a realizar o que ele já decidiu realizar. Quanto aos nós, devemos continuar a fazê-los quando estivermos usando calçado de cadarço, pois cadarço solto pode levar a pessoa a cair.

 Pastor

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

19º Aniversário da IPAnil

Não Percam!!!

UMA IGREJA PARA AMAR

UMA IGREJA PARA AMAR

“Se de ti me afastar, aonde quer que eu for, jamais me esquecerei de ti.
Igrejinha da infância, onde a voz de mamãe a Deus suplicava por mim”.

                Muitas vezes ouvi essa canção na juventude, sempre entoada nas comemorações do aniversário da igreja da qual eu era membro.
                As crianças da igreja Presbiteriano do Anil, provavelmente, não conhecem a canção, mas, eu creio, expressarão na vida adulta o mesmo sentimento de amor que ela traduz. Isto porque, neste ambiente de adoração, elas estão vivendo uma infância feliz e ajustada, relacionando-se com um povo que manifesta por elas um amor que é o reflexo do amor de Deus, e lhes dá exemplos de conduta cristã que serão lembrados por toda a vida. Mais do que crescendo fisicamente, na Igreja Presbiteriana do Anil nossas crianças estão se desenvolvendo espiritualmente de forma sadia.
                Também os novos convertidos - crianças na fé - que aqui iniciaram sua carreira cristã, certamente guardam na memória o ambiente de acolhimento que encontraram aqui, que lhes auxiliou no aprendizado da Palavra e no amadurecimento espiritual.
                Os já experientes na caminhada cristã que chegam a esta igreja, como foi o meu caso, logo percebem que este é um lugar no qual “entramos para adorar e saímos para servir”.
                Ao longo de dezenove anos de história esta igreja enfrentou muitas crises e desafios, o que, certamente, não é incomum acontecer em instituições religiosas. Contudo, o que observo aqui é que a Igreja Presbiteriana do Anil é uma igreja “que sai, que vai e que chega” porque nunca se desvia do foco: “ser a igreja que o Senhor quer que ela seja; ser uma igreja empenhada na salvação do pecador”, e nisto ela tem contado com a bênção do Pai.
A Igreja Presbiteriana do Anil é uma igreja que está guardada no coração de Deus. Aí está a sua relevância, que a fará ser sempre lembrada com carinho, não só pelas crianças, mas por todos nós.

Betânia Chiappani

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

DEUS EM PRIMEIRO LUGAR



Mateus 6.25-33

            A busca pelo primeiro lugar é comum entre nós. Talvez por esta razão organizamos a nossa escala de prioridades de modo a favorecer a nossa colocação. Para uns, em primeiro lugar vem o trabalho e os estudos; para outros, a família; há quem coloca em primeiro lugar a religião. Mas a quem buscamos em primeiro lugar?
            Se eu pudesse levar as pessoas a organizarem uma escala de prioridades, elas teriam em primeiro lugar Deus, em segundo lugar a família e em terceiro lugar a igreja.
            Em primeiro lugar devemos buscar a Deus, porque sem ele nada somos e nada podemos fazer; em segundo lugar, a família, por ser a parte da sociedade onde desenvolvemo-nos física, emocional e espiritualmente; em terceiro lugar a igreja, por ser a família de Deus.
            Mateus 6.25-33 apresenta a fala de Jesus que manda que observemos a natureza, que evitemos a ansiedade e que busquemos, em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça.
            A promessa para aqueles que buscarem, em primeiro lugar, o reino de Deus, é que receberão as demais coisas.
            Podemos afirmar então que não faltará Alimento para os que confiam no Senhor. Valemos mais que as aves do céu, e a providência de Deus será percebida em nossas vidas.
            Se Deus Veste os lírios do campo, não nos deixará nus, certamente.
            Deus cuida dos seus com alimento, vestes, e também não deixa sem Abrigo. Temos para onde voltar.
            Se Deus é prioridade na sua vida, será incoerente a preocupação que perturba a sua alma.

Pastor

domingo, 27 de outubro de 2013

QUEM PODE TER COMO CERTA A SALVAÇÃO?


João 3.16-21

            Há quem viva na ilusão de que esteja salvo. É uma esperança carnal, que desaparecerá com o passar do tempo. Mas há, de fato, quem possa viver certo de salvação e com morada garantida na glória. A esses Jesus disse: “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vos teria dito. Pois vou preparar-vos lugar” (Jo 14.1-2).
             João 3.16-21 fala do amor de Deus e da missão de Jesus, esclarecendo muito bem sobre o que acontece quando Jesus não é aceito.
            Para responder à pergunta sobre quem pode ter como certa a salvação, algumas evidências devem ser consideradas:
            a) A graça e a salvação tornam-se visíveis na vida de quem obedece ao Evangelho. Esta evidência vem depois do reconhecimento da completa ruína espiritual.
            b) A consciência da salvação leva a pessoa a buscar atitudes que, naturalmente, provocam na sociedade sentimentos de rejeição em relação a ela.
            c) Há mudanças objetivas na vida da pessoa que espera morar no céu. O pensamento, os desejos e as ações mudam por amor a Cristo. É a presença de Deus na vida do pecador levando-o a ser a pessoa que Deus quer que ele seja.

            Depois das evidências, afirmamos que viverá eternamente quem verdadeiramente crer no Senhor e o ama com sinceridade. Estas atitudes devem acompanhar todas as evidências aqui consideradas. Se você crê em Jesus, pode então ter a certeza da Salvação.

Rev. Mário Lopes

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Os Eleitos do Senhor Jesus

2 João 1-11
O que somos e como vivemos? Se somos crentes, não devemos viver como ímpios.
João é o presbítero que se dirige a uma senhora eleita e a seus filhos, falando sobre o que deve nos interessar ainda hoje. Em sua carta, escrita próximo do ano 90, João enfatiza sobre a importância da verdade.
Vejamos alguns elementos relacionados aos eleitos do Senhor:
Convicção
A igreja é formada pelos que conhecem a verdade. Se ainda não conhece a verdade, a pessoa não pertence à família do Senhor. A verdade é Jesus. Por causa de Jesus, formamos a comunidade que vive convicta da graça, da misericórdia, da alegria.
O fundamento
"Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor." (1 João 4:8). Deus é amor, é o que a Bíblia diz. E foi o amor de Deus que o motivou a enviar Jesus para salvar os que são seus por amor. Logo, o funcionamento da Igreja deve estar baseado no amor. Os irmãos devem viver em amor. E o pedido do apóstolo João à pessoa para quem ele escreve é que amem uns aos outros. Atitude esta que deve ser praticada por todos os que conhecem a verdade.
Podemos confiar que uma pessoa melhorará pelo amor, mas isto vai exigir paciência. Neste ponto o apóstolo Tiago diz: “Sede, pois, irmãos pacientes, até à vinda do Senhor. Eis que o lavrador aguarda com paciência o precioso fruto da terra, até receber as primeiras e as últimas chuvas” (Tg 5.7).
As ameaças
Jesus contou a parábola do joio e do trigo para ensinar que estarão no meio dos salvos os que não irão para a glória, representando uma ameaça para todo o trabalho da Igreja. Por serem muito parecidos com os servos do Senhor, os maus confundem e enganam, provocam contendas e etc. Agora, depois de ouvirmos esta palavra, não comecemos a julgar uns aos outros. Pode acontecer que alguns bons, influenciados pelos maus, ajam como tal, o que não é bom.  Cabe ao Senhor Jesus, quando da sua volta, separar os bons dos maus. No tempo do apóstolo João já se fazia advertência sobre o perigo que representavam os falsos mestres.
Somos eleitos de Deus, convencidos da verdade para viver em amor e vencendo o mal.  

OS ELEITOS DO SENHOR JESUS

2 João 1-11
O que somos e como vivemos? Se somos crentes, não devemos viver como ímpios.
João é o presbítero que se dirige a uma senhora eleita e a seus filhos, falando sobre o que deve nos interessar ainda hoje. Em sua carta, escrita próximo do ano 90, João enfatiza sobre a importância da verdade.
Vejamos alguns elementos relacionados aos eleitos do Senhor:
Convicção
A igreja é formada pelos que conhecem a verdade. Se ainda não conhece a verdade, a pessoa não pertence à família do Senhor. A verdade é Jesus. Por causa de Jesus, formamos a comunidade que vive convicta da graça, da misericórdia, da alegria.
O fundamento
"Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor." (1 João 4:8). Deus é amor, é o que a Bíblia diz. E foi o amor de Deus que o motivou a enviar Jesus para salvar os que são seus por amor. Logo, o funcionamento da Igreja deve estar baseado no amor. Os irmãos devem viver em amor. E o pedido do apóstolo João à pessoa para quem ele escreve é que amem uns aos outros. Atitude esta que deve ser praticada por todos os que conhecem a verdade.
Podemos confiar que uma pessoa melhorará pelo amor, mas isto vai exigir paciência. Neste ponto o apóstolo Tiago diz: “Sede, pois, irmãos pacientes, até à vinda do Senhor. Eis que o lavrador aguarda com paciência o precioso fruto da terra, até receber as primeiras e as últimas chuvas” (Tg 5.7).
As ameaças
Jesus contou a parábola do joio e do trigo para ensinar que estarão no meio dos salvos os que não irão para a glória, representando uma ameaça para todo o trabalho da Igreja. Por serem muito parecidos com os servos do Senhor, os maus confundem e enganam, provocam contendas e etc. Agora, depois de ouvirmos esta palavra, não comecemos a julgar uns aos outros. Pode acontecer que alguns bons, influenciados pelos maus, ajam como tal, o que não é bom.  Cabe ao Senhor Jesus, quando da sua volta, separar os bons dos maus. No tempo do apóstolo João já se fazia advertência sobre o perigo que representavam os falsos mestres.
Somos eleitos de Deus, convencidos da verdade para viver em amor e vencendo o mal.  

terça-feira, 1 de outubro de 2013

O Arrependimento


                                                                Marcos 1.14-15

A preocupação em estar bem com a sociedade existe. Isto pode significar “pontuar” com os homens. Mas existe a preocupação em estar bem com Deus?
O texto de Marcos 1.14-15 menciona a prisão de João Batista, que foi o precursor de Jesus, e diz que Jesus foi para a Galiléia pregando o evangelho de Deus. Na sua mensagem, o Senhor pregava que o tempo estava próximo, e que era necessário arrependimento e crença no evangelho.
Para estar bem com Deus é necessário arrependimento, graça esta que deve ser pregada e entendida. Por que o arrependimento?
O pecado representa perigo
Sem arrependimento o pecador estará sempre em perigo, “porque o salário do pecado é a morte”. O tempo está próximo. Não há muito o que esperar e fazer, somente Cristo é a solução.
O pecado é contrário à Lei de Deus
A odiosidade pelo pecado deve surgir pelo fato de ser ele contrário à natureza e à Lei de Deus. Os mandamentos do Senhor são claros. A vontade de Deus está revelada na sua Palavra.
Consciência da misericórdia de Deus
O pecador, contrariando sua natureza pecaminosa e evitando fazer o mal, espera na misericórdia de Deus manifestada em Cristo Jesus, ser perdoado, desejando fazer a vontade de Deus.
Quem vê Jesus e o aceita, arrepende-se e está livre da morte. Mais ainda, sabendo que o pecado é contrário à Lei de Deus, pode contar com a misericórdia do Senhor. 

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

A SANTIFICAÇÃO DO CRENTE


A SANTIFICAÇÃO DO CRENTE
Hebreus 10.19-25

Um processo que começa na conversão é a santificação. Processo este que terá continuidade enquanto vivermos sobre a terra, quando somos aperfeiçoados dia-a-dia. Sempre melhor hoje, do que ontem; melhor amanhã, do que hoje. 
É da vontade de Deus a nossa santificação. Encontramos relação da santificação com:
A comunhão com Deus – v. 22
Entendemos melhor porque Deus se agradou de Jacó e não de Esaú quando lemos a Carta aos Hebreus: “Segui a paz com todos e a santificação,... nem haja algum impuro ou profano, como foi Esaú, o qual, por um repasto, vendeu o seu direito de primogenitura” (Hb 12.14). A primogenitura, que também possuía valor espiritual, foi desprezada. Logo, Esaú possuía uma índole má, sempre propenso a estar longe de Deus.
O andar em novidade de vida – v. 24
Muitos se interessam pelas boas obras, mas somente aquelas que Deus aprova produzem os efeitos necessários na vida das pessoas. Boas obras essas que certamente são praticadas por quem busca também a santificação. Aqui o mais importante não é o realizar, mas quem realiza. Deus realiza por quem quer glorificar o seu nome.
O exemplo de Cristo 
Não há lugar para buscarmos saber como devemos viver. Somente olhando para Cristo, e procurando imitá-lo, experimentaremos a santificação. 
Seguir a paz com todos e a santificação são exigências para que possamos ver o Senhor (Hb 12.14). E, fazendo assim, imitamos a Cristo. 

Rev. Mário Lopes

terça-feira, 6 de agosto de 2013

III Congresso de Casais - IPAnil - 23 a 25/08/2013


Convido você para o 3º Congresso de Casais da IPAnil

Será nos dias 23 a 25 de agosto na histórica Fazenda manga Larga, que um dia pertenceu o “Rei do café” na chamada região do Café Brasileiro.

Valor por casal: Pensão completa apenas R$ 400,00 (Pode ser parcelado no cartão de crédito no local).

Aproveite essa oportunidade e viaje com sua esposa para um local mais que agradável!

Vagas limitadas! Aguardo seu contato urgente!

Sobre a fazenda:
FAZENDA MANGALARGA
A FAZENDA
A Fazenda Mangalarga está localizada no Município de Paty do Alferes, na Estrada Paty-Petrópolis, nº711, a apenas 119 km do Rio de Janeiro (2h),

7 km de Miguel Pereira e 43 km do Vale das Videiras, em Itaipava, em plena Região do Vale do Café.
A história da Fazenda Mangalarga remonta à época do Brasil Colônia, tendo sido a origem do nome dado aos famosos Mangalarga, raça brasileira de cavalos.
A atual sede foi construída no final do século XIX, com arquitetura e estrutura de construção colonial, e, apesar de reformada, oferece a quem por ela transita ou nela se hospeda, a inesquecível experiência de voltar no tempo e sentir a história brasileira no período do ciclo do café.
A Casa-Sede da Fazenda exibe adorável ambiente rústico, de elevado bom gosto, propiciando ambiente de tranquilidade e paz ao hóspede ou visitante, o qual pode usufruir ainda do conforto das instalações locais e da delícia de sua autêntica gastronomia rural.
O conceito de hotelaria preservado por seus proprietários se distingue pelo cuidado carinhoso com o hóspede e o oferecimento de um atraente cenário, de tal modo que, através de acolhedora hospedagem de habitação, você, que merece o melhor, pode sentir-se em sua própria Fazenda.





A RAÇA MANGALARGA
A origem da raça Mangalarga Marchador é controversa.  Em verdade, como a história começou há quase três séculos, muitas lendas se criaram e hoje se torna difícil apontar a mais verdadeira. Dois fatos, entretanto, são unânimes em todos os relatos:
1- O Barão de Alfenas sempre aparece como o "pai da raça".
2 - O nome Mangalarga deriva da Fazenda Mangalarga, em Paty do Alferes (versão relatada por Geraldo Diniz Junqueira (Fazenda Boa Esperança - Orlândia-SP), baluarte da eqüinocultura nacional, também lançada no site do Exercito Brasileiro).
Segundo estes relatos, quando o Barão  de Alfenas era ainda um deputado da Corte Imperial, um colega de Câmara o convidou para uma visita a Fazenda Mangalarga para que conhecesse alguns cavalos de rara qualidade.  Durante a visita, o Barão de Alfenas teria dito que, embora os animais existentes na Fazenda Mangalarga fossem realmente de boa qualidade, em sua propriedade no Sul de Minas (a Fazenda Campo Alegre), existiam animais superiores àqueles.
Desta forma, foi marcada uma visita à fazenda do Barão para que conhecessem seus cavalos.  Assim, seu colega deputado, ao conhecer o plantel do Barão teria ficado empolgado e adquirido alguns animais que foram levados à Fazenda Mangalarga no Estado do Rio de Janeiro.
Esses animais ficaram por demais conhecidos nos passeios na Corte e nas praias do Rio de Janeiro e, logo em seguida, começaram a aparecer no Sul de Minas comerciantes interessados em adquirir animais iguais aos da Fazenda Mangalarga, daí originando-se o nome.





LAZER
Na Fazenda Mangalarga, você terá à sua disposição variadas opções de lazer para sua família e convidados.
•Sala de TV com canais fechados;
•Salão de jogos com mesas de Ping-Pong, Totó e Sinuca;
•Campo de Futebol;
•Campo de Vôlei;
•Piscina para Adultos;
•Piscina Infantil;
•Lagos para Pesca;
•Cachoeira;
•Redários;
•Sauna a vapor;
•Lounge aberto para descanso junto ao verde;
•Gazebo à beira do lago
•Fogo de chão
•Fazendinha (aves e coelhos)

EVENTOS E FESTAS
RETIROS ESPIRITUAIS

A Equipe da Fazenda Mangalarga possui comprovada experiência na organização e realização de retiros, estando habilitada a oferecer conforto e agradáveis momentos a custo compatível com a natureza do evento. 
 As instalações da Fazenda foram preparadas para que sua Comunidade possa realizar, com liberdade, cultos ou palestras no salão ou junto à fogueira, mantendo saudável confraternização através de festas, brincadeiras e momentos esportivos.
 A capacidade atual é de 80 pessoas, divididas nos 16 apartamentos, em sistema de alojamento (com camas extras).

SUA FESTA
A concretização de seu sonho de aniversário, casamento, bodas, bar-mitzvah ou qualquer outro evento comemorativo é real na Fazenda Mangalarga.
Nossa Equipe de Decoração transformará seus desejos em momentos inesquecíveis, estando apta a criar ambientes especiais e temáticos de extremo bom gosto.

FINAL DE SEMANA COM FAMÍLIA E AMIGOS
Se sua família ou seu grupo de amigos é superior a 30 pessoas é possível fazer da Mangalarga sua casa de campo, usando-a com exclusividade por todo o final de semana. 
Preparamos cardápio e atividades de acordo com seus desejos.
Experimente a sensação de veranear, sem trabalho ou preocupação.

EVENTOS DE NEGÓCIOS
A Fazenda Mangalarga está permanentemente habilitada à realização de eventos e recepção de grupos de pessoas ou empresas.
Colocamos à sua disposição salão de convenções refrigerado, que atende a 100 pessoas com muito conforto, oferecendo decoração campestre.
 Elaboramos sua “Parada para o Cafezinho” em agradável gazebo junto ao lago, voltado para as montanhas. Os petiscos são preparados por nossa cozinha com esmero e zelo, a fim de proporcionarmos à sua Equipe de Trabalho momento de prazer gustativo somado a merecido descanso. 
 Estamos aptos a, junto com a direção de sua Empresa, programar seus eventos de trabalho e fazer deles um momento inesquecível a seus funcionários.

COMO CHEGAR


Inscrições: Casal Benni e Michelle
Contato: 21-9228-9041 e 7614-9535
E-mail: casais@ipanil.org

quarta-feira, 24 de julho de 2013

A GRANDE COMISSÃO DO SALVADOR

A GRANDE COMISSÃO DO SALVADOR
“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.”

            Jesus voltou ao céu, mas antes enviou seus discípulos ao mundo. Como o Pai havia enviado a Jesus, agora, Jesus envia seus discípulos. Todo aquele que foi alcançado pelo evangelho, deve ser um portador do evangelho. O propósito de Jesus é o evangelho todo, para toda a igreja, a toda a criatura, em todo o mundo. O método de Deus é a Igreja. Uma igreja que não evangeliza, precisa ser evangelizada. A igreja é um corpo missionário, ou um campo missionário. A tarefa da igreja é desinstalar-se e, na dinâmica da sua caminhada, fazer discípulos.
            Jesus não precisa de admiradores e fãs; ele quer discípulos, Jesus não se impressiona com multidões; ele quer discípulos. Aqueles que creem precisam ser integrados na igreja por meio do batismo em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. O batismo não salva, mas é testemunho da salvação. Não é o conteúdo da salvação, mas o seu sinal. Aqueles que são batizados precisam ser instruídos na Palavra e essa instrução não é apenas teórica, mas prática. Não é dirigida apenas à cabeça, mas também ao coração. Não somos o que conhecemos e falamos; somos o que fazemos.

Rev. Hernandes Dias Lopes
1ª Igreja Presbiteriana de Vitória-ES

Cada Dia Natal – 2012 

segunda-feira, 22 de julho de 2013

A ALIANÇA E A DEDICAÇÃO

A ALIANÇA E A DEDICAÇÃO
Deuteronômio 29
            Movimentos sem entendimento sempre existiram. Hoje vemos uma religião preocupada com o crescimento numérico da membresia. O que devia acontecer não acontece! Deus deveria ser anunciado como único Deus e as pessoas deveriam estar preocupadas em fazer a vontade do Senhor.
            Em Deuteronômio 29 vemos Moisés falando ao povo de Israel, considerando a renovação, na terra de Moabe, da aliança já firmada no Sinai. O povo é lembrado sobre o que Deus fizera no Egito e dos grandes sinais e maravilhas que realizou. Moisés fala ainda que Deus não permitiu que o povo entendesse sobre o que aconteceu, o coração do povo permaneceu endurecido. Mas chegara o momento de saber sobre a aliança que Deus desejou manter com o seu povo. Nesta aliança, Deus continuará cuidando do povo e provendo suas necessidades.
            Fatores importantes:
            a) A providência de Deus. Confiar que Deus estaria provendo era necessário. Deus, que chama seu povo para a aliança, já havia demonstrado o seu poder. Deus não permitiu que as vestes e sandálias do povo envelhecessem (v. 5); alimentou e dessedentou o povo; tomou as terras dos reis Seon e Ogue e entregou a Israel (vs. 7 e 8), etc.
            b) A obediência do povo. Deus exige total dedicação, condenando os ídolos e fazendo entender que o coração não deveria desviar-se dele. Fica certo que ninguém que ande na perversidade terá paz. Perigoso para Israel seria abandonar a aliança. Hoje não é diferente: muitos preferem andar longe do Senhor porque não compreendem o que Deus pode realizar em suas vidas.
            Façamos movimentos que possam ajudar as pessoas a entenderem sobre Deus, que é um Deus que age para o bem dos seus e que espera obediência e dedicação.
 Rev. Mário Lopes

sábado, 13 de julho de 2013

A JUSTIFICAÇÃO

Romanos 5.1-11
            Penso que toda inquietação da humanidade pode ser explicada a partir do primeiro versículo do texto acima. Enquanto o homem estiver longe de Deus, inimigo do Senhor, não haverá tranquilidade.
            Romanos 5.1-11 trata da justificação experimentada por quem passa a crer em Jesus e do desdobramento desta graça na vida do pecador.
            Aprender sobre a justificação ajudará a entender que todo um trabalho foi feito para que o homem não permanecesse longe do Senhor. Jesus assumiu a forma humana e, colocando-se no lugar do pecador, satisfez a justiça de Deus. O homem deveria ser condenado pelos seus pecados, mas em seu lugar, Jesus aceitou o castigo. Agora, perdoados os pecados, as pessoas são aceitas como justas.
            Podemos relacionar com a justificação:
         Amizade. A primeira coisa de que o homem precisa é ser amigo de Deus. Sendo amigo de Deus, pode, então, esperar o que passamos a considerar a partir do próximo parágrafo.
Paz. A paz que o mundo conhece está relacionada com o intervalo entre duas guerras ou a cessação de conflito. Em Deus, temos uma paz que independe do que acontece à nossa volta. É uma paz que “excede todo o entendimento” (Fp 4.7) porque está no coração e não nas circunstâncias. Se temos paz com Deus, experimentamos contentamento real, ainda que haja guerra.
            Esperança. Uma palavra do apóstolo Paulo própria para este momento: “Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens” (1Co 15.19). Justificados, podemos pensar nas moradas eternas que Jesus foi preparar (Jo 14.2).
            A justificação nos permite desfrutar do amor de Deus, de que nos tornamos amigos graças à intermediação de Jesus. Nessa condição podemos, então, esperar em paz nas promessas do Senhor. 
Rev. Mário Lopes

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Desperta Débora! Já orou pelo seu filho hoje ?

 Ninguém ora por um filho como uma Mãe. Imagine milhares de mães orando juntas!

Quem são as Déboras

São mães intercessoras, biológicas, adotivas ou espirituais, de qualquer denominação, comprometidas a orar diariamente por seus filhos e pela juventude brasileira, por no mínimo, 15 minutos diários.
Hoje já são mais de 40000 mães cadastradas em todo território brasileiro e vários países. A liderança do Desperta Débora é composta por mais de 1500 coordenadoras locais e regionais.

Como surgiu este movimento

Desperta Débora nasceu no coração de Deus, que tocou o Pastor Rev. Jeremias Pereira da Silva (8ª Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte) por ocasião da Consulta Global sobre Evangelização Mundial, em Maio de 1995 em Seul, na Coréia.
Um dos pontos altos desse encontro foi a consagração dos primeiros 100.000 jovens para a obra missionária. Durante esta consagração fez-se moção de gratidão às mães que oraram para que esse sonho se tornasse realidade. Tal fato fez nascer no coração do pastor Jeremias Pereira e do pastor Marcelo Gualberto (MPC - Mocidade Para Cristo do Brasil) o sonho de ver acontecer algo semelhante em nosso país.
Assim, esses dois pastores lançaram um desafio para que as mães brasileiras começassem a orar intensamente por um despertamento missionário no Brasil.
A esposa do pastor Jeremias, Ana Maria, foi convidada a unir-se a eles e assim os três iniciaram o movimento.
O nome Desperta Débora veio da leitura do livro de Juízes 5:7- 12. Débora foi uma juíza e mãe que se levantou para defender Israel, sua nação. Neste texto ela desafia a si mesma dizendo:
"Desperta, Débora, desperta, desperta, acorda..."

Alvos de oração das Déboras

• A conversão de seus filhos;
• A restauração daqueles que estão desviados, dentro e fora das igrejas;
• O despertamento missionário de 50.000 jovens que formarão a Geração Compromisso;
• A consagração da Geração Compromisso;
• Por um avivamento nas Escolas e Universidades.

Como fazer parte deste movimento

Se você quer ser uma Débora e fazer parte deste movimento de oração pela nossa juventude, venha até a nossa Igreja, e fale com o Pastor Rev. Mário Lopes, ou entre em contato com O INTEV:
 (Instituto de Evangelização e Missões - www.intev.org).

sábado, 6 de julho de 2013

A Vocação eficaz


                Na cidade de Filipos, reunidos junto ao rio, realizavam os discípulos do Senhor uma reunião de oração. Várias mulheres escutavam a palavra que era pregada, mas o Senhor abriu o coração de uma – Lídia - para “atender às coisas que Paulo dizia” (Atos 16.11-15). A Bíblia de Genebra diz sobre esta parte da Bíblia que “iluminação e persuasão divinas são necessárias para que o coração cego pelo pecado responda ao evangelho”.
A revelação de Deus sempre se fez presente, seja a revelação natural, seja a revelação especial. Entendemos, então, porque alguns ouvem e se interessam pelo Senhor e outros não dão crédito, quando paramos para pensar sobre o ensino da vocação eficaz.
                O texto de Atos 13.44-49 apresenta a fala dos apóstolos Paulo e Barnabé, que diziam aos judeus que primeiro a palavra deveria ser pregada a eles, mas, porque houve rejeição, a palavra foi então dirigida aos gentios. O texto fala, ainda, que os gentios que creram não creram por vontade própria.
                A vocação é eficaz:
                1) Porque Deus determina. Entrar no estado de graça não deve ser confundido com entrar para a Igreja. Os que são chamados pelo ministério da palavra, não se chegando nunca a Cristo, ainda que vivam na retidão não podem ser salvos. Somente os vocacionados por determinação de Deus serão salvos. Isto vale, inclusive, para a criança.
                2) Porque Jesus realiza. Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma” (Mt 11.28-29). Este texto é suficiente para demonstrar o trabalho de Cristo chamando e tirando o pecador da sua triste condição espiritual.
                3) Porque o Espírito Aplica. O entender que se está sendo chamado por Deus não está ligado à eloquência do pregador nem ao entusiasmo com que apresentam os louvores a Deus, mas à ação do Espírito de Deus, que convence do pecado, da justiça e do juízo. É o espírito Santo operando com a palavra, com o louvor.

                A vocação eficaz nos  mostra que não depende do homem sair do estado de pecado para o estado de graça, mas única e exclusivamente de Deus.

Rev. Mário Lopes