sábado, 7 de dezembro de 2013

JESUS – A PALAVRA DE DEUS



Hebreus 1.1-4

                Vi uma reportagem sobre uma fita que, amarrada no braço com três nós, pode levar a pessoa a realizar três desejos. Funciona assim: a pessoa faz os nós na fita e pede três coisas. Quando a fita se romper com o tempo, os pedidos serão atendidos. Mas surgiu um problema: como a fita era de algodão e passou a ser fabricada de poliéster, a demora aumentou para que se rompesse. Resolveram, então, acelerar o processo, voltando à fabricação com algodão. O que há de espiritual nisso? Nada! O que nos parece é que, se a troca de material altera o processo, logo o poder está em quem faz a troca e não no sobrenatural.
                Hebreus 1.1-4 fala sobre a comunicação de Deus. Antes, Deus se revelava pelos profetas. Hoje, através de Cristo Jesus. O texto faz ainda uma apresentação de Jesus, suficiente para levar o pecador a confiar no Filho de Deus.
                A nossa confiança das pessoas não deve estar em objetos e pessoas, mas em Cristo Jesus, que nos é apresentado na Bíblia, sendo ele tudo o que Deus desejou revelar ao homem.
                A Bíblia, revelação especial de Deus, ensina que, antes de Cristo, Deus, através de pessoas, revelou a sua vontade ao seu povo. Alguns exemplos: Com Moisés, Deus fez chegar o conhecimento da sua lei. Em Isaías, foi possível sentir-se como no céu. Diz o profeta: “No ano da morte do rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e as abas de suas vestes enchiam o templo” (Is 6.1).  Pelos salmistas, Deus fez ver que a revelação divina está presente desde o princípio, porque “os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos” (Sl 19.1).
                Em Cristo, Deus revela o caminho da salvação, o que deve interessar a todos, o preço que foi pago.
                Estou convencido de que, mais do que pedir, eu devo esperar o que o Senhor deseja acrescentar à minha vida. Na Bíblia encontramos promessas que mais cedo ou mais tarde vão se cumprir, no tempo de Deus. Não precisamos fazer nada como que para ajudar a Deus a realizar o que ele já decidiu realizar. Quanto aos nós, devemos continuar a fazê-los quando estivermos usando calçado de cadarço, pois cadarço solto pode levar a pessoa a cair.

 Pastor