domingo, 19 de novembro de 2017

Relacionamento Familiar



RELACIONAMENTO FAMILIAR
Gênesis 33.1-17

            Dizem que o que não começa bem não acaba bem. Isso pode ser verdade para quem permanece longe do Senhor. O fato de sua família não ter começado bem não significa necessariamente que você tenha que esperar um fim trágico. Estancar processos perversos pode ser buscado e alcançado. Relacionamentos quebrados devem ser reatados para o bem da família.
            Jacó e Esaú foram separados devido a comportamentos destrutivos. Depois de muitos anos se reencontraram, e o que fora ferido não cobrou pelo que sofreu. Esaú, ao invés de querer matar, queria abraçar. Algo parecido aconteceu com José, que sofreu terrivelmente por causa dos irmãos, mas quando os reencontrou, agiu amavelmente, sem cobranças. Tanto num caso como no outro o relacionamento foi restabelecido depois de um início nada bom.
            O que aprendemos com as histórias de Jacó e Esaú e de José e seus irmãos? Que devemos dominar a raiva. “Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo (Ef 4.26-27). Entender que nenhuma ofensa é grande demais, que a oportunidade de reconciliação não deve ser perdida e que o amor deve se sobrepor o ódio. “Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros, porque o amor cobre multidão de pecados” (1 Pe 4.8).

Rev. Mário Lopes

domingo, 22 de outubro de 2017

O que vemos?



O QUE VEMOS?
Números 13.25-33

            Algumas pessoas sofrem do que quero chamar de “distorção da realidade”. A conclusão delas nem sempre traduz o que a coisa é realmente. Aceitam com naturalidade o que outros abominam e propagam uma mensagem distorcida devido à leitura mal feita. Fantasmas não existem, mas há quem garanta que viu o que ninguém mais vê. Pode ser uma forma de fuga ou um comportamento exagerado e covarde.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Aprender a aprender



APRENDER E APREENDER

Disse o Senhor:Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te” (Dt 6.6-7).

            Hoje, mais do que nunca, ensinar é um desafio gigantesco. O que parecia padronizado está muito variado; o que parecia absoluto ficou relativizado; o que era imoralidade é tratado como arte. O erro encontra aprovação quando justificado por argumentos que, na melhor das hipóteses, seria uma explicação. Onde encontrar apoio para um ensino sadio, que começa no lar? Em meio a tanta confusão, em que se basear?

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Lançai as Redes



 LANÇAI AS REDES
Lucas 5.1-11

            A palavra mais pronunciada hoje ainda continua sendo a palavra crise. Crise na política, crise institucional, crise religiosa, crise na família. A crise é só a ponta do “iceberg”, pois o problema é muito maior e mais profundo. A raiz de toda essa situação é o pecado. E onde encontrar a solução? Olhando para baixo ou para cima? Se ocupando somente com as coisas deste mundo ou com mais alguma coisa?

domingo, 17 de setembro de 2017

Deus e a família

DEUS E A FAMÍLIA
Gênesis 1.26-28

            Definições de família: “Conjunto de pai, mãe e filhos” (Dicionário Escolar da Língua Portuguesa); “marido, mulher e filhos” (Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa). Os dicionários parecem concordar com a Bíblia. A Bíblia diz que, para formar a família, Deus criou o homem e a mulher que, unidos, geraram filhos. As definições consideradas aqui e o que a Bíblia diz revelam uma natureza humana que depõe contra qualquer tentativa de transformar qualquer “coisa” em a família.

sábado, 9 de setembro de 2017

Vai Brasil!




VAI BRASIL!

“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”
(João 8.32).

            “Minha pátria para Cristo é a minha petição”, isto é o que cantamos com a congregação. E esta deve ser a oração que deve ser constante em favor de um país que foi liberto, mas continua cativo; um país que deseja ir, mas escolhe caminhos que não levam a lugar algum; um país religioso, mas sem Deus. A verdadeira libertação inclui estar livre da idolatria, da corrupção, da superstição.