sábado, 20 de abril de 2013

Deus, A Criação e a família


 Gênesis 2

            Vemos na Bíblia esta afirmação: “Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia.” (Gn 1.31). No versículo 18 do texto acima, encontramos estas palavras: “Disse mais o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea”. Instituiu Deus assim o casamento, e consequentemente a família.
            Seria “chover no molhado” dizer que Deus criou o homem e mulher para deles formar a família. Mas a definição de família, para muitos, precisa “sofrer modificação”, pois não vêem a família apenas como aquela que é formada por marido, mulher e filhos. Essa formação mais comum se harmoniza com a Palavra de Deus, mas não satisfaz à sociedade atual.
            Devemos observar, ao lermos a Bíblia, que Deus plantou um jardim, instituiu a família e procurou cuidar dela durante todo o tempo. Se a família não vai bem, a culpa não é do Senhor.
            No início, quando o primeiro casal desobedeceu a ordem de Deus, lá estava o Senhor fazendo vestimentas de pele (Gn 3.21).
Veio a corrupção do gênero humano, e novamente surge Deus salvando a família de Noé do dilúvio.
            Deus chamou um homem casado com uma mulher estéril para deles formar uma família e depois um grande povo. É o que vemos na história de Abrão.
            Deus leva uma família a proteger o filho, porque quer usá-lo para a libertação de um povo. É o que aprendemos com a história de Moisés. Personagens dessa história: Joquebede e Mirian.
            Jesus nasceu numa família para salvar os que cressem nele.
            “Se a ideia da família veio do coração de Deus, é preciso manter as portas e janelas abertas, para que o sopro do seu Espírito renove o ambiente e traga paz, refrigério, segurança, alegria e vida” (Cada Dia Família).  
Pastor