A FAMÍLIA E OS SENTIMENTOS NOBRES



 Filipenses 4.8-9

            Frases que chamaram a minha atenção nesses dias: “Eu me entusiasmo pelos sentimentos nobres, mas não sou movido por eles”; “O universo não seria grande coisa se não fosse o lar das pessoas que você ama”. A primeira frase sugere que não é suficiente só o entusiasmar-se pelos sentimentos nobres, mas é preciso ser movido por eles. Já a segunda frase nos faz pensar no universo como lar de pessoas amadas. Pensando nestas frases, o que você pode dizer do relacionamento com os seus familiares? Os sentimentos nobres estão orientando esse relacionamento?
            O apóstolo Paulo quer levar os crentes filipenses a fazerem uma seleção sobre o que deveria estar em suas mentes. Há quem defenda a ideia de que o caráter e a conduta começam na mente. Se não nos livrarmos do mau pensamento em poucos segundos ele poderá nos dominar. O apóstolo quer também que os ensinos não sejam esquecidos. Os crentes deveriam apresentar as virtudes de crentes.
            Se quisermos desenvolver sentimentos nobres para o bem da nossa família precisaremos nos policiar, bloqueando a entrada dos maus pensamentos que podem levar-nos a comportamentos que não revelem as devidas  virtudes que devem acompanhar os crentes no Senhor Jesus. Isso nos permitirá colocar em prática os ensinos que recebemos. É na mente que começa o comportamento.

Rev. Mario Lopes

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presidentes do SC - IPB (Todos)

Dia do Diácono

Quem somos