AS CONSEQUÊNCIAS DO PECADO



Gênesis 3.1-13
A Confissão de Fé de Westminster quando trata sobre o pecado diz: “Nossos primeiros pais, seduzidos pela astúcia e tentação de Satanás, pecaram, comendo do fruto proibido”. Aqui temos a origem de todo mal.
            Como consequências do pecado podemos apontar:
            1. Quebra da comunhão com Deus. O homem não continuou na presença de Deus após a queda, o que veio a significar morte espiritual. Não estando na presença de Deus ocorre a perda de qualidade existencial. Seria como se perder a blindagem contra o mal. O homem sem Deus fica espiritualmente vulnerável.
2. A desordem mundial. O mundo é o que é, mas não é o que poderia ser. Digo isto para enfatizar o quanto estamos distantes do que poderia ser o mundo em que habitamos. Logo após falar sobre a expulsão do casal do jardim, a Bíblia passa a narrar sobre Caim e Abel. Vemos, então, o primeiro homicídio. Na conjuntura atual observamos a violência, a desigualdade social, os problemas econômicos que as autoridades mundiais não conseguem resolver. Há dificuldade econômica na Europa, na América Latina. Temos enfermidades, dificuldades emocionais com desdobramentos para as questões éticas e morais.
3. A morte de Cristo. “Sem derramamento de sangue não há remissão” (Hb 9.22). Mas não poderia ser qualquer sangue para resolver o grande problema advindo do pecado. O sangue deveria ser de alguém perfeito, sem defeito. Jesus, então, morre porque o pecado entrou no mundo. Este ato de Jesus vai ser lembrado às gerações posteriores, por determinação dele mesmo, quando instituiu a Ceia.
O pecado entrou no mundo quebrando a comunhão que o homem tinha com Deus; causou, ainda, desordem mundial, e foi o motivo pelo qual Jesus morreu. Podemos concluir dizendo que Deus continuou amado suas criaturas. E o que receber Jesus viverá eternamente na presença dele.

Rev. Mário Lopes

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presidentes do SC - IPB (Todos)

Dia do Diácono

Agenda