domingo, 19 de novembro de 2017

Relacionamento Familiar



RELACIONAMENTO FAMILIAR
Gênesis 33.1-17

            Dizem que o que não começa bem não acaba bem. Isso pode ser verdade para quem permanece longe do Senhor. O fato de sua família não ter começado bem não significa necessariamente que você tenha que esperar um fim trágico. Estancar processos perversos pode ser buscado e alcançado. Relacionamentos quebrados devem ser reatados para o bem da família.
            Jacó e Esaú foram separados devido a comportamentos destrutivos. Depois de muitos anos se reencontraram, e o que fora ferido não cobrou pelo que sofreu. Esaú, ao invés de querer matar, queria abraçar. Algo parecido aconteceu com José, que sofreu terrivelmente por causa dos irmãos, mas quando os reencontrou, agiu amavelmente, sem cobranças. Tanto num caso como no outro o relacionamento foi restabelecido depois de um início nada bom.
            O que aprendemos com as histórias de Jacó e Esaú e de José e seus irmãos? Que devemos dominar a raiva. “Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo (Ef 4.26-27). Entender que nenhuma ofensa é grande demais, que a oportunidade de reconciliação não deve ser perdida e que o amor deve se sobrepor o ódio. “Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros, porque o amor cobre multidão de pecados” (1 Pe 4.8).

Rev. Mário Lopes

Nenhum comentário:

Postar um comentário